sábado, 4 de outubro de 2014

Laguna

Vago como um lago
Sem minha vontade na brevidade
Conduzida pela circunstância
Lá vou eu.

Sem companhia,
Sem destino,
Sem um sim,
Sem um não.

Vago como um lago.

O passado cada vez mais distante
Dá lugar a incertezas tão fortes
Que, às vezes,  pareço estar viva...
Mas, logo caio na realidade
De minha verdade

Vago como um lago.



Um comentário:

  1. Jacqueline, it is so lovely to see you writing again.. as always you write with such deep thoughts... and beautiful :)

    ResponderExcluir

*Imagens: Google