quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Profundo Ato



Num momento de êxtase
todos os sentidos voltam-se a um único e difuso desejo
no qual advindo do âmago humano
fomenta o instinto jorrando toda inquietude
em um momento de volúpia.





Tudo Foi


Tudo foi, ficou na poeira do passado
Tudo o que é também acabou de ir neste instante
Tudo o que será está passando...foi.
Um turbilhão de sensações eclodem
sobremaneira confundindo razão, emoção, Ser e o deixar de ser!

Tudo foi, ficou na poeira do passado.
Tudo o que é também acabou de ir neste instante.
Tudo o que será está passando...foi.
Ontem era um menina travessa cujo futuro sonhava ser alguém importante
sem ter a ideia de que o futuro não me pertencia, mas sim a delicadeza de minha meninice
que não soube aproveitar sonhando esse futuro que passou e não percebi.

Tudo foi, ficou na poeira do passado
Tudo o que é também acabou de ir neste instante
Tudo o que será está passando...foi.

Neste momento o Tudo esvai-se no Nada Atmosférico.
Um nada que restou de todo o oculto.
Quiçá agora sem o Tudo
o Ser possa ter sentido e,
assim, ser sentido de maneira equilibrada por um coração tão sem sentido?

Tudo foi, ficou na poeira do passado
Tudo o que é também acabou de ir neste instante
Tudo o que será está passando...foi.






*Imagens: Google