segunda-feira, 1 de julho de 2013

Chuva






Lá fora chove,
o tumulto dos pingos,
o burburinho que fazem
assemelha-se ao estado de meu interior.

Lá fora chove
e aqui dentro tudo está árido
inodoro, incolor, insípido
em descontentamento rendido.

Lá fora chove,
meu coração sangra a partida,
que na esperança escondida
aguarda o retorno de sua ida.

Lá fora chove
isso me comove,
volte.






9 comentários:

  1. This is such a beautiful piece of poetry... with so much thought and emotion... Outside it rains... sometimes it rains inside my heart...

    ResponderExcluir
  2. Preciosa Poesía con ese vaho que transmite la añoranza y esconde los rayos del Sol de una renqueante Esperanza...Precioso.
    Abraços e beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esperanza, esperanza, mi caro.
      Gracias,
      Besos.

      Excluir
  3. [uma tristeza úmida
    incomoda
    e ninguém vê]

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas alguns (raros) como você conseguem enxergar.
      Bjoks

      Excluir
  4. Olá!Boa tarde
    Jaque
    Eu penso que...
    Quando alguém está assim distante,
    Contento-me em imaginar
    Que quando a chuva molha
    Molha de saudade também aquele/a que tanto lembro com saudade...
    mas, a chuva vai passar, a água vai lavar seus sentimentos , o vento vai levar toda essa saudade misturada com vontade e a calmaria vai te alcançar e quem sabe, de manhã você pode despertar para encontrar aquele que partiu...
    Saudades sempre
    Bela quarta feira
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Felis!

      Penso que...
      Você pode ter razão,
      pois ele veio,
      só espero que fique.

      Bjoks

      Excluir
  5. Querida amiga e poetisa Jaqueline !!! !!!!

    Belíssima poesia. Gostei muito.
    Está de parabéns.
    Maravilhosa semana para você!
    Beijos de luz !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    POETA CIGANO – 09/07/2013
    Http://carlosrimolo.bl.ogspot.com
    “Poesias do Poeta Cigano”

    ResponderExcluir

*Imagens: Google