sexta-feira, 19 de abril de 2013

Liquefação




Em meio à multidão busco seu cheiro,
seu corpo, sua essência, seu eu.
Meu olhar inquieto por vê-lo
deixa minha estrutura trêmula,
duvidosa do que está por vir, se não o avistar.

Entretanto, em meio ao caos urbano
e minha turbulência interior,
uma visão: o motivo de meu ardor.
Arrepio-me.
Enrijeço-me por inteira.
Salivo desejosa por devorar esse objeto de querência.
Em demência, sentir sua pele quente
deslizando minhas curvas cálidas luzentes.

Seus beijos sôfregos,

seus sentidos ávidos,

seu toque insaciável, indomável.

Em um momento insano transcendemos o meio.
Do ar anseio ao jorro permeio.
Fugimos da realidade.
Fundimo-nos.
Sem o 'eu',
sem o 'você'.

Só por instantes: o 'Nós'!







10 comentários:

  1. Oooo Jacqueline, so sensual... lovely:)

    ResponderExcluir
  2. Muito lindo, Jaque!
    Poema conjugado na primeira pessoa do plural, e quanto queremos todas nós mulheres isso, não?

    Beijos, flor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu particularmente, adoooro estar em primeira pessoa, mesmo em oculto...
      Bjoks minha flor!!!

      Excluir
  3. Oi Jaque,

    Eis-me aqui para te fazer uma breve visita. Lindo poema querida. Fiquei a imaginar que meus olhos buscam o que ainda não conheço, será que vou reconher quando o vir? a multidão ainda é uma multidão para mim. rsrsrs

    bjkas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Helene!
      Acredito que antes do pôr-do-sol em sua vida encontrará seu alvo.
      Bjoks

      Excluir
  4. Que bela procura e quão belo será este encontro. Beijos amada e boa semana prá ti!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Su!
      Penso que será com um turbilhão de sensações!!!
      Bjoks

      Excluir
  5. Muito sensual. Já vivi momentos desses.
    Muito bem escrito.Bjs.
    Irene Alves

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irene,
      Obrigada por vir e comentar.
      Fico feliz por ter já vivenciado momentos como esses.
      Bjoks

      Excluir

*Imagens: Google