quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

A Rainha





Nomeei-te rainha.
Há maiores do que tu, maiores.
Há mais puras do que tu, mais puras.
Há mais belas do que tu, há mais belas.

Mas tu és a rainha.

Quando andas pelas ruas
ninguém te reconhece.
Ninguém vê a tua coroa de cristal, ninguém olha
a passadeira de ouro vermelho
que pisas quando passas,
a passadeira que não existe.

E quando surges
todos os rios se ouvem
no meu corpo,
sinos fazem estremecer o céu,
enche-se o mundo com um hino.

Só tu e eu,
só tu e eu, meu amor,
o ouvimos.

Pablo Neruda



10 comentários:

  1. Preciosa Poesía de Neruda, llena de un sentimiento que penetra por todos los poros de la piel.
    Abraços e beijos.

    ResponderExcluir
  2. Belíssimo poema Jaque, sentei com meu filho e discutimos o poema traçando um paralelo com a amada dele, pois ele havia dito que não gostava muito de poisia porque só falava de amor, entao eu joguei um poema do Carlos Brunno, sobre o contexto social, um de Rita e de Janaína falando da construção do eu e etc. O moleque endoidou, ficou com aquela cara hã, cuma, hã to começando a entender. rsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz pela desmistificação poética de seu filho.
      Bjoks

      Excluir
  3. Neruda era mesmo um lindo, não é?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Era um grande homem e um excelente observador da vida e detalhes dela...

      Excluir
  4. Tú sí que eres una reina de la creación poética y artística. Feliz 2013 amiga y que sigas deleitándono con tus poemas durante el año nuevo. Un beso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Armando, de esa manera usted me hace sonrojar.
      Gracias, querido.
      Besos e feliz año nuevo con muchos viajes para iluminar el.

      Excluir
  5. Oi Jaqueline, passando para te desejar um ano novo de muita paz e saúde, pleno de realizações. Feliz 2013!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Paulo.
      Pode ter certeza que meu desejo para você é recíproco.
      Bjoks

      Excluir

*Imagens: Google