sábado, 24 de novembro de 2012

Morte Amante


De que adianta ter em mim você
se não posso ter você em mim?
De que adianta sentir seus braços por instantes
se estão, quase sempre, distantes?
De que adianta doar-lhe completamente o meu eu
se não pode ser totalmente meu?
De que adianta um amor sôfrego
contudo, solitário e ermitão que mendiga o seu?
De que adianta momentos tão intensos
em que nos fundimos um no outro
vulcanizados, ardentes, unos
se ao nos separarmos você vai em outros braços repousar?
Não, não dá.
Nada adianta, só retarda.
Assassina minha essência lentamente
desilude-me de mim mesma.
Aos poucos vou morrendo.
Está doendo.
Todavia, não adianta mais.



12 comentários:

  1. Desgarrador y lleno de impotencia por una Pasión que no se estabiliza.
    Precioso.
    Abrazos y beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Una pasión desestabilizada, mi querido.
      Es desamor de si.
      Besos.

      Excluir
  2. O senso comum acredita que o escondido é excitante, é possível sim, principalmente porque nascemos em uma sociedade tão hipócrita que acha melhor esconder-se do que se revelar. Seu poema revela uma situação em que o eu lírico está numa situação de ocupação de momentos vagos na vida de outrem. Viver escondida e sempre de migalhas.

    Bem, tenho que levar em consideração que em outras sociedades a permeabilidade de relacionamentos era completamente institucionalizadas por força de lei, a céltica era um exemplo, sem falar das inúmeras que até hoje são poligamicas.

    Eu, como nasci no ocidente, não tenho em mim essa concepção, mesmo que tivesse, ainda assim, encontrar-se-iam vestígios ou ranços, em mim, de monogamia. Isso por si só, já seria um fracasso absoluto e pior, fonte de muitas infelicidades e frustrações.

    Enfim, para mim, é melhor que algo dure apenas um instante, mas que ele seja completo e visível. Nunca cometi crime pra viver me escondendo.

    ResponderExcluir
  3. Olá!Boa tarde!
    Jaque
    Tudo bem?
    ...parece-me ser uma mulher muito bem resolvida, com os seus sonhos e expectativas, mas muito e muito consciente que era a outra,ou ponto de refúgio dele, e quase que me atrevo a dizer que era feliz!Então, me parece que chegou a perceber que é a hora de "puxar a rédea"...que ela seja feliz em outros caminhos...
    ah...nem sabia que tu não estavas em meu mosaico...até estranhei!Em todo caso:obrigado!
    E para que vc não perca meu blog de vista, olha o que eu vou fazer...
    se vc quiser passar pelo meu perfil Google,clica na minha "fotinha, se vc quiser ir direto para meu blog :
    ClicAki Blog(IN)FELIZ
    Obrigado!
    Ótimo domingo!Ótima semana!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, meu querido!
      Ela percebeu que estava que não era principal, mas coadjuvante, mesmo se fosse principal, relacionamento a três ou mais não dá, pelo menos para mim.
      Quanto ao seu mosaico, eu faço parte dele mas com a conta do twitter, daí não aparecia para mim no painel no blogger, agora estou lá duplamente, pois me inscrevi como blogger.
      Bjoks

      Excluir
  4. What good is having anyone if you cannot fully have them? Wonderful writings as usual Jaqueline... always so thought provoking:)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. The essence of that quote always in my poems, that's life on the whole, to have someone, amr is someone already is and not be half full.
      Thank you, my beautiful Launna.

      Excluir
  5. Respostas
    1. Vindo de você, meu mestre, fico mais do que lisonjeada!
      Obrigada.

      Excluir
  6. Oi Jaque,

    Tudo bem? Não gosto do amor a três, pois alguém é e o excesso. Nessas situações, o melhor é limitar a vista e mudar o foco para o que é ser principal para alguém.

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Luciana!

      Estou bem, também não gosto e por tal abomino.
      Amor, só a dois!

      Excluir

*Imagens: Google