quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Amor eterno




Ele veio.
muitos não me ouviram,
não me enxergaram,
não me acreditaram,
desprezaram-me,
mas ele veio.
Procurei em tantos,
confiei em falsos,
doei-me a insensíveis,
mas ele veio.

Chorei,
sorri,
deitei em seu colo
senti carinho
reciprocidade
porque ele veio.
Acolheu-me
acariciou-me os cabelos,
elogiou-me a aparência,
o sorriso entre as lágrimas,
afinal, há anos não nos víamos,
mas ele veio.
Os seres atuais são insensíveis
egocêntricos e insanos,
mas veio.
Apesar dos anos,
da idade,
das rugas,
do tempo,
ele provou com atitudes que amor
não acaba,
ele fica reservado em um cantinho
enquanto os coadjuvantes vão passando.
Ao saber de minha dor,
ele veio.
Provamos que o amor vai além do sexo,
e que a vida pode separar os corpos,
mas não o sentimento.
Ele veio,
mas teve que voltar.
Deu-me por instantes, proteção
mas regressou à sua realidade
apesar de me amar
teve que se afastar..
Mas, pelo menos ele veio.


20 comentários:

  1. En Europa acaba de empezar el día (7:45) y me ha gustado comenzarlo con esta bonita poesía. Gracias, amiga. Un saludo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ¡Qué bello comentario, Armando!
      Gracias, amigo mío.

      Excluir
  2. Esa venida anhelada, que consuela Almas y estimula al Corazón; porque es cierto que la vida puede separar los cuerpos, pero nunca un sentimiento.
    Preciosa Composición, como siempre.
    Un abrazo y beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Te echo de menos, Pedro.
      Saudadesssssss,
      besos

      Excluir
  3. Não importa se ele é de longe ou de perto, o importante é que ele veio e trouxe junto o carinho, o amor, a entrega. Belo poema, gostei muito amiga. Um grande beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sim, Su.
      Ele trouxe e em um momento difícil, mas se foi, deixando o melhor em mim.
      Bjoks

      Excluir
  4. Olá!Boa noite!
    Jaque!
    ... esse amor fica para sempre, mesmo se outros amores vêm e vão depois...e deixa aquela sensação de inacabado que nos persegue para sempre...mas que bom que ele veio. E que a medida de tempo, seja o eterno ou o passageiro, depende da intensidade com a qual o aproveitamos, até porque o para sempre é muito tempo e deve morar muito longe, perto do fim...
    ah..espero q JÁ esteja tudo bem contigo!
    sem o link no meu Blogroll no Face, fico sem saber de suas atualizações...tendeu?
    Obrigado!
    Boa quinta feira!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Felis!
      Que seja eterno enquanto dure...
      Estou melhorando.
      Bjoks

      Excluir
  5. Awe Jaqueline this is beautiful and touching;)

    ResponderExcluir
  6. Oi Jaqueline,

    Que bom que o amor veio, e espero que logo retorne....

    Bjos querida amiga

    ResponderExcluir
  7. Jaque, uma das figuras mais enigmáticas da mitologia grega para mim é EROS. No "Banquete" de Platão, Eros é filho da Penia (miséria ou penúria) e de Poros (recursos), duas categorias opostas, Eros é uma síntese, mas como SER EROS, ele é a criatura mais solitária do mundo, todos o querem e por isso não pode ter sua individualidade, seu único par. Que estranho é pensar a fidelidade sob esse ponto de vista não? Bem, mas podem dizer que Eros é diferente de Amor, mas o propio amor também é subdividido. Enfim, eu queria falar alguma coisa que já esqueci nessa digressão. Você é a culpada Jaque, quem manda escrever coisas boas que nos levam a viajar na maionese? bjs minha querida amiga.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tive uma crise de riso agora...rs
      Você se perdeu e eu também...acredito que tenha comparado o ocorrido com o eu lírico com Eros, uma síntese de miséria com recursos solitário, pois 'ele veio' mas teve que partir...
      Obrigada, minha flor!

      Excluir
    2. Acho que estava a pensar algo muito parecido com o que voce diz, mas minha memória é a coisa mais "buraco negro" que me lembro. Quem precisa de inimigo com essa memória? rsrsr Seja o que for que eu tenha pensado se perdeu (não sei se momentaneamente, mas deixo registrado que pensei algo a partir do que voce escreveu e quem sabe um dia ela não resvale do inconsciente e retorne à minha cachola.

      Excluir
  8. Oi Jaque,

    Tudo bem? Prnfundo! Sempre os meus amores foram e não voltaram, mas sempre por razões que lá no final não valiam a pena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apesar dele ter vindo, Lu, também se foi e deixou-me um tanto melhor, pois estava deprimida, porém, estou só. POIS ELE SE FOI.
      Bjoks

      Excluir
  9. Jacqueline, muito belo e sensível. Ele veio e depositou em sua pluma uma pureza muito bonita.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Dulce, mas essa pluma deliciosamnte tocou-me e foi-se...
      Bjoks

      Excluir
  10. Lindooo...gostei demais do poema.
    Desejo a ti e td sua família um super feliz natal.

    ResponderExcluir

*Imagens: Google