terça-feira, 11 de setembro de 2012

Presa Fácil




Em seus braços sinto segurança
enquanto fora deles me perco como em um labirinto.

Em seus braços sinto aroma primaveril
enquanto fora deles o frio invernal assola-me
resfriando o calor do Ser.

Em seus braços é como se o tempo acelerasse
o que gostaria de eternizar.

Em seus braços a essência da vida torna-se evidente
enquanto fora deles não há razão de existência.

Em seus braços encontro guarida
para viver em dualidade no jardim de nosso mundo,
cúmplices, íntimos e mútuos
fora deles sou só o 'eu'.

Em seus braços sou a presa
fora deles, sou fera intocável
que para tê-lo ao lado torna-se frágil
faz-se até domável
para gozar as muitas primaveras
envolvida por tais braços.




18 comentários:

  1. Oi, Jaque!
    Mais um texto belíssimo que dá gosto de ler.
    E como sempre, esbanjando sensualidade. Adorooo!! eheheheh

    Parabéns por mais essa belíssima obra.

    Beijão!

    Cléo - Conheça o blog Vejo Por Aí...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cléo, quanto tempo, minha flor!
      Obrigada por gostar!

      Bjoks

      Excluir
  2. Olá!Boa tarde!
    Jaque!
    ...de todas as mulheres que não são capazes de dizer o que fazes.
    teus sentimentos são como poesia
    teu olhar de pecado esgotado pelo silêncio
    deleita-se na força do peito sobre seu corpo,
    se como pedra bruta foi sendo lapidada
    nos braços de seu amor fica presa fácil...
    Pois, seria capaz de viver e morrer por toda...
    Obrigado!
    Boa terça!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que palavras lindas, Felis!
      Realmente, quando se ama vira presa fácil.
      Boa semana.
      Bjoks

      Excluir
  3. Esos brazos que esculpen a una Mujer con todo su encanto y sentimientos a flor de Piel.
    Precioso Poema, Jaqueline.
    Un abrazo y beijos.

    ResponderExcluir
  4. I have felt safe in his arms, I love this piece of poetry, it brings wonderful memories to my mind that make me pause and remember the feeling of knowing how safe I was;)

    ResponderExcluir
  5. O amor desnorteia a nossa cabeça e nos vira pelo avêsso....mas é bom, né?? Lindos versos, beijinhos para ti.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Su, ele nos deixa domáveis ou 'quase'!
      rs

      Excluir
  6. Óla,

    Parabéns menina talentosa....abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Palácios, obrigada por vir.
      Há muito não o via aqui.
      Bjoks

      Excluir
  7. Olá, Jac! que lindo! parabéns. Estav te devndo uma visita, demorei mas cheguei..rs
    Aproveito para te convidar para participar da promoção que está acontecendo lá no blog em parceria com o Pavablog estaremos sorteando um livro da Editora mundo cristão. Participe!!!

    http://massoterapiaassis.blogspot.com.br/p/s-o-r-t-e-i-o-s_3.html

    ResponderExcluir
  8. Oi Jaque,

    Tudo bem? Lindo o texto! Não sinto essa sensação de segurança em braços alheios há muito tempo. Tenho tido braços fortes, sem o clichê de independência, mas acho que o caminho tem sido uma linha reta.

    Boa semana e beijos.

    Lu

    ResponderExcluir

*Imagens: Google