quinta-feira, 14 de junho de 2012

Fim Sem Começo




Amanheci contente por ter acordado bem naquele dia, realizei minhas tarefas rotineiras, sem pensar asneiras, mas na expectativa extrema de receber um telefonema. Durante tudo o que eu fazia um pensamento me vinha, o celular! Olhava-o de minuto em minuto, ouvia-o chamar sem tocar...coisa de minha cabeça?...sim... rs... Estava ansiosa para ouvi-lo. Enfim, ouvi. No mesmo instante corri para pegá-lo, decepção! Era uma amiga querendo me vender mais um acessório, como se não bastasse a decepção, acabei comprando e gastando sem pensar no que fazia, estava fora de mim, afinal queria ouvir outra pessoa, ou talvez, não ouvir, mas ser lembrada por ela. Conforme as horas iam passado, o celular parecia me olhar com sarcasmo, debochando de mim por não tirar os olhos dele. Até que, ao mexer em meu facebook, alguém me chamou para conversar, era só um amigo que me convidava para sair e como não havia recebido o outro telefonema, aceitei. Ao terminar meu trabalho, ouvi sem querer ouvir, meu celular tocar mensagem, era quem eu esperei o dia todo e para minha surpresa queria me ver. Lógico que neguei, não querendo negar. Lógico que ignorei, não querendo ignorar, afinal já era noite e havia marcado com um amigo de sair. Que ódio daquele homem! Para piorar minha situação, ao sair do trabalho, quem estava do outro lado da rua mandando beijinho??? Ele! O que ele queria afinal? Ignorou minha pessoa o dia todo e quando fui me encontrar com um amigo, ele ficou com ciúmes? Ah não acreditei! Parecia cena de novela, mas da novela de minha vida, uma novela da vida real! No dia seguinte um fato imprevisível e inusitado... Recebi uma mensagem via celular na qual ele terminava o que nunca tivemos. Dando fim ao que nem havia começado. Não entendi. Não entendo. Estou sem entender. O que sei é que não tenho mais aquele Apolo em minha vida, mesmo que esporadicamente. Aquele homem que me fazia Mulher! Instigava meu instinto como nenhum outro o fez. Que me pegava com certeza do que queria, pelo menos no momento...era intenso...mas...esporadicamente. E agora nem assim... Tivemos um fim sem termos um início e isso não entendo nem compreendo... Tivemos um fim!

9 comentários:

  1. Obrigada pela visita e comentário!
    Adoro receber VOCÊ! Palácios

    ResponderExcluir
  2. Jaque :)
    Muito bom seu texto *-*
    Você tem muito talento :)

    Beijos e cuide-se

    www.rimasdopreto.com

    ResponderExcluir
  3. Sandro, suas palavras são bem-vindas. Adoro vc aqui!
    Obrigada pelo carinho.
    Bjoks

    ResponderExcluir
  4. O fim de uma história que nem começou... cara, e como vejo isso acontecer no dia a dia! Alguém gasta tempo e energia em uma história que não aconteceu ainda, e ao mesmo tempo que quer, teme o que anseia.. adorei o post!

    ResponderExcluir
  5. Un gran texto.
    Las cosas se tuercen y salen al revés. No somos capaces de entender la situación y nos desesperamos por decisiones incorrectas o precipitadas o...¿Tal vez, no!
    Muy buena entrada.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  6. Por desgracia, Pedro, son situaciones rutinarias. : (

    ResponderExcluir
  7. Awesome post Jaqueline, what you write always makes me think, which is wonderful;)

    ResponderExcluir
  8. Thank you, Launna was missing you.

    ResponderExcluir

*Imagens: Google