quinta-feira, 26 de abril de 2012

A Ninfa e o Elfo



Era uma madrugada fria e silenciosa,
Bela e misteriosa como todas as noites outonais.
Em seu vestido místico, as silhuetas sensuais noturnas
Transpareciam o desejo pela transcendência
Da Terra para a Lua
Em uma constelação nua

Envolvida por esta atmosfera… estava eu…
Viajando em sentidos reminiscentes
Banhada pela esplêndida Natureza!

De repente como magia
Uma mensagem chega despertando euforia!
O que eu estava sentindo em meu peito
Ele, meu elfo, sentia em seu leito.
Era como se nossos corpos entrassem em sintonia
Em busca da sinfonia
Da mesma fantasia com muita harmonia
Mas… em pensamento, delírios, devaneios.
Sem toque ou carícias por meio.

Em alguns instantes estávamos próximos um do outro
Por que não dizer dentro um do outro?
- A Ninfa e o Elfo!
Na academia natural do instinto
Estávamos nós, os amantes absintos,
Que se banhavam famintos
Com a brisa da madrugada
Tendo por testemunhas as estrelas no céu
O vento no ar e a visão lunar…








4 comentários:

*Imagens: Google