sexta-feira, 23 de março de 2012

Pusilanimidade*

Ao pensar no título para esse blog imaginei algo que, todos que temos a consciência de ilusão, pudéssemos identificar em nós mesmos. Mas hoje, impreterivelmente hoje, senti algo que ainda não havia exposto - medo! E assim descrevo para vocês:

Em um dia estava protegida, envolvida nos braços "dele"
seu sorriso entranhava em meu ser
de tal maneira que desejei eternizá-lo em mim.
A entrega do momento era mútua,
o desejo voluptuoso era intenso,
nosso suor parecia óleo perfumado,
ríamos um do outro como crianças em um instante de "ingenuidade",
ao amanhecer, despedimos-nos com promessas e
seguimos nossos diferentes caminhos acreditando
que ainda voltaríamos a deliciar outras noites como aquela, intensas...
Mas não aconteceu!
E depois de semanas ainda pego-me com aquela sensação de estar com ele,
ouvindo as risadas e sentindo os toques daquela última noite...
E sinto medo,
medo de não superar,
medo de vê-lo nos braços de outra,
medo de esquecer e de ser esquecida!
Enfim, sinto medo de não encontrar tal sintonia em outro alguém!

*o mesmo que Medo.

3 comentários:

  1. temos que passar pelo medo, ele é a coragem antes de aparecer!

    ResponderExcluir
  2. Tenho sentido um grande medo de perder uma pessoa mt especial p mim... Na verdade acho que ja perdi. Um beijo

    ResponderExcluir
  3. Hoje, Sandra, percebo que só perdemos o que possuímos e na verdade não possuímos nada, nem nosso corpo é nosso, o que dirá o "outro"!!! Mas o sentimento de perda é como faca bem afiada que transpõe nosso coração, nossa alma...dói sem se ver!

    ResponderExcluir

*Imagens: Google